Vendemmia

Logística 4.0: o que aprendemos com a pandemia?

As indústrias que dependem de importação precisaram se reinventar para buscar alternativas e superar essa crise.

Há dois anos, o mundo inteiro foi pego de surpresa pela propagação de um vírus diferente de tudo o que conhecíamos. Com um nome científico complicado, o SARS-CoV-2, que logo ficou conhecido como o “novo coronavírus” passou a fazer parte das nossas vidas e a modificar os nossos hábitos. Passamos a viver o “novo normal”, com uso de máscara e álcool em gel, distanciamento social, fechamento do comércio e com empresas se vendo forçadas a aderir ao trabalho remoto. As indústrias que dependem de importação foram fortemente impactadas e precisaram se reinventar para buscar alternativas e superar essa crise. Nesse cenário, o controle dos processos e a tecnologia foram fundamentais na logística para que a economia mundial não fosse ainda mais afetada.

Importância da logística

A logística – algo que até então podia parecer distante do dia a dia do consumidor final – se mostrou indispensável para mantermos a economia circulando e nossas vidas funcionando. Desde a importação de insumos para a indústria até a entrega de compras on-line na casa do cliente, não por acaso, o setor de logística foi um dos que mais cresceu e gerou empregos desde o início da pandemia. Afinal, você já parou para pensar como teríamos sobrevivido até aqui sem ela? Para termos acesso aos produtos que estamos habituados a consumir – de medicação a alimentos, de vestuário a eletrônicos, da indústria química a automobilística – muito provavelmente teve alguém que importou, nacionalizou e armazenou essa mercadoria (seja o produto final, sua embalagem ou os seus insumos) muito antes que eles chegassem ao consumidor final.

 

Com a pandemia, o consumidor, que já vinha se tornando mais exigente, passou a valorizar ainda mais as empresas com melhores prazos e qualidade na entrega. Se você já tinha o costume de fazer compras on-line, deve ter percebido a corrida dessas empresas para aprimorar os seus processos e garantir a sua preferência na hora de finalizar o carrinho de compras. E, se tem uma empresa, certamente também fez parte dessa corrida para se adaptar à nova realidade. Além de garantir o abastecimento de produtos e insumos no país, em paralelo, todo o setor de logística precisou também se movimentar rapidamente para encontrar soluções, atender a o aumento da demanda e garantir o sucesso no processo de venda pela internet. Para se ter uma ideia, segundo a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm), o crescimento nas vendas eletrônicas em 2021 foi de 68% em comparação com 2019.

Logística 4.0

Muito além de garantir a entrega, para manter a competitividade, é preciso cuidar da experiência do cliente – seja ele a indústria ou o consumidor final – organizando todo o caminho que ele vai fazer desde a solicitação do produto até o pós-venda. É isso que faz a chamada “logística 4.0”, que utiliza diversas tecnologias – como RFID (identificação por radiofrequência que ajuda na recuperação e armazenamento remoto de dados), inteligência artificial (IA), internet das coisas (IoT), blockchain, automação e até mesmo o uso de drones – nos seus processos para atender às demandas do mercado. Vale salientar que de nada essas tecnologias ajudam se elas não estiverem integradas e se não houver um serviço de inteligência e estratégia por trás. Isso só é possível graças ao investimento em inovação que o setor de logística vem fazendo para tornar esses processos (como importação, armazenamento, monitoramento, segurança, transporte, entre outros) ainda mais ágeis e eficientes, evitando imprevistos no processo e, consequentemente, o aumento de custos para o consumidor final.

Logística integrada

Para os operadores logísticos 4PL – que trabalham a logística de ponta a ponta – um grande diferencial é disponibilizar uma plataforma que permita ao cliente acompanhar todas as etapas do processo logístico, desde a retirada da sua carga no exterior até o traslado marítimo, chegada ao Brasil, desembaraço aduaneiro, armazenagem e entrega ao destino com rastreabilidade e visibilidade total. Ao concentrar todas as informações logísticas dos processos contratados, você permite a comunicação rápida com os clientes em tempo real de todo o fluxo em um único ambiente.

 

Mas, por que isso é importante? Quando você gera dados para o seu cliente, mais do que oferecer um serviço de levar um produto de um ponto a outro, você permite que ele visualize e faça uma análise dessas informações de forma precisa e inteligente. Vamos imaginar que o seu cliente tenha uma empresa de importação de videogames e o contêiner com os seus produtos fique parado por conta do mau tempo ou outro imprevisto. Se ele tem essa informação em tempo real, na palma da mão, ele pode fazer a leitura desse dado, buscar alternativas junto com a sua operadora logística e tomar decisões mais rápidas para evitar prejuízos, além de ter maior controle do planejamento das suas vendas. Além disso, ele pode comunicar o atraso, por exemplo, ao consumidor final, oferecendo rastreabilidade e transparência.

 

Acreditamos que, muitas vezes, quem está na ponta do processo e sente as dores dos clientes todos os dias é que tem os melhores insights do negócio. Para sermos mais preditivos na cadeia longa e trabalharmos para a melhor experiência do cliente – principalmente considerando a logística de ponta a ponta –, precisamos oferecer uma visão integrada e transparente desse ecossistema de dados logísticos que permita tanto nossa equipe quanto os nossos clientes serem ágeis e assertivos na tomada de decisão, dentro de um parâmetro de tempo e custos. A pandemia trouxe grandes aprendizados à humanidade e, ainda que às custas de muito sofrimento, acelerou muitas tendências também, principalmente as tecnológicas. Precisamos estar atentos a elas para nos manter inovando no mercado, contribuindo para o crescimento do setor e para o dia a dia das pessoas.

 

Para saber mais sobre as tendências da logística, veja esse material mais completo sobre o assunto.


Leia mais assuntos: