Vendemmia

5 tendências para a logística em 2022

Confira os caminhos que o setor deve seguir, as mudanças e as inovações que tornarão a logística ainda mais importante para a saúde das empresas.

Assim como os outros segmentos do mercado, o setor logístico também precisou passar por adaptações durante 2021. Por conta da pandemia, o que parecia apenas solução emergencial ou temporária, fez com que os modelos de negócios precisassem se readaptar frente à realidade ainda existente da Covid-19. Não por outra razão, as empresas de logística desempenharam um importante papel importante durante a pandemia e a tendência é que, cada vez mais, sejam parte fundamental à recuperação econômica.

Mas como será o “novo normal” daqui pra frente? Essa é a pergunta do momento, e, a partir dela, também vem a oportunidade de reavaliar o seu modelo operacional, afinal, mesmo com a diminuição dos bloqueios e restrições, o cenário da pandemia mundial ainda está interrompendo a distribuição global em uma escala jamais vista antes.

E, sabendo que novas formas de olhar o setor e o supply chain estarão ainda mais presentes no futuro, com grande avanço da chamada logística integrada, o 4PL, selecionamos algumas das principais tendências para 2022:

1. Base única de informações

Uma tendência para 2022 é contar com uma única base de informações da cadeia logística, utilizando uma plataforma aberta e confiável. Isso porque inserir e transferir dados manualmente entre diferentes sistemas de software e operadores é demorado e arriscado. O potencial de erro aumenta cada vez que as informações são inseridas mais de uma vez, especialmente quando você enfrenta diferenças de idioma, leis e de localização.

 

Digitalizar operações para aumentar a produtividade

Usar uma plataforma logística única significa que todos estão trabalhando no mesmo banco de dados, de modo que as informações inseridas no local de origem também se tornam imediatamente disponíveis para o destino. Isso acelera sua eficiência operacional e reduz a probabilidade de erros. Também mantém todos os envolvidos no supply chain informados sobre o status da carga, possibilitando a colaboração entre todas as partes.

 

Escalabilidade para controlar custos

Uma plataforma única de controle de dados garante também que as empresas de logística possam reduzir seus gastos em relação a mudanças temporárias e imprevisíveis nos volumes de uso e receita. Ou seja, fica bem mais simples realizar atualizações e melhorias, que podem ser feitas de maneira bem menos onerosa.

 

Integração de processos para aumentar a eficiência operacional

Com uma plataforma única para controle de dados é possível uma integração abrangente, tanto dentro quanto fora dessa base. Concentrar os dados em um único local permite:

  • Gerenciamento de estoque em tempo real para responder às mudanças na demanda;
  • Eliminar a necessidade de pagar por várias licenças de software de gerenciamento de cadeia de suprimentos, controlando os processos de transporte de ponta a ponta em uma única base;
  • Acesso aos dados em qualquer lugar e a qualquer hora, otimizando processos e planejamento. 

2. Provedores especializados

Cada vez mais os provedores logísticos especializados farão a diferença no supply chain das empresas. A chamada logística 4PL (fourth party logistics), conhecida também como logística integrada, é a evolução da 3PL, a logística de terceirização.

 

A Vendemmia, por exemplo, lançou recentemente sua plataforma digital, Vendemmia Analytics. É nela que a empresa concentra agora todas as informações logísticas dos processos contratados, além de permitir a comunicação rápida com os clientes e acompanhamento em tempo real de todo o fluxo em um único lugar. 

 

Os resultados da análise dos dados levantados pela plataforma mostram o caminho que a empresa precisa tomar para otimizar seus processos e também entender quais podem ser automatizados, além de aprimorar sua eficiência. Além disso, a empresa dá atenção especial ao atendimento, priorizando a solução de dúvidas dos clientes e suas necessidades. Por operar com estruturas próprias, incluindo armazém, transportadora e importação, a Vendemmia consegue maximizar os ganhos dessa cadeia por meio de benefícios tributários, financeiros e aduaneiros.

3. Programas ESG 

ESG é uma sigla em inglês para Environmental, Social and Governance (Ambiental, Social e Governança, em tradução). À medida que a demanda por imóveis logísticos continua a aumentar, o setor está cada vez mais comprometido em melhorar a sustentabilidade de longo prazo dos edifícios logísticos. Em 2022, isso terá ainda mais peso. 

 

Questões ESG estão no topo da agenda para a maioria dos incorporadores, investidores e empresas logísticas, com as considerações ambientais atualmente em destaque. Além de uma série de fatores sociais e de bem-estar presentes na tomada de decisões de negócios dos principais participantes do mercado, a busca pela eficiência energética continua acelerada.

 

A logística focada em valores ESG também prevê o aumento do uso de energias renováveis e provedores logísticos precisam entender como isso impacta seu planejamento. A tecnologia solar não é, de forma alguma, um recurso novo, mas deve aumentar em 2022. Assim, a instalação de painéis solares fotovoltaicos está se tornando cada vez mais presente em esquemas de logística e distribuição.

4. Investir em pessoas

Um dos aspectos mais importantes da logística em 2022 será o desenvolvimento de pessoas. Todo processo, ações e planejamento dependerão cada vez mais do conhecimento dos profissionais envolvidos. Mesmo tendo necessidade de uma maior ênfase nas habilidades baseadas em tecnologia, especialmente na análise, o aspecto central do supply chain sempre foi sobre pessoas e seus relacionamentos.

 

Comunicação

A capacidade de se comunicar de forma adequada, dependendo do contexto e da necessidade, deve ser sempre a principal prioridade no desenvolvimento de habilidades sociais. Quanto mais os profissionais conseguirem se comunicar de forma clara e eficiente, menos chances de haver erros ou mal entendidos no supply chain. 

 

Habilidades interpessoais

São elas que permitem que as pessoas saibam que tipo de comunicação é mais apropriada e quando. As habilidades interpessoais também estão relacionadas à maneira como você interage ao trabalhar com outras pessoas. Eles abrangem qualidades como tato, diplomacia e trabalho em equipe, bem como se estendem à arte da boa liderança.

 

Observação e atenção

Sempre que você não está ativamente envolvido em interações interpessoais, observar e ouvir com atenção o que está ocorrendo ao seu redor é a melhor maneira de aprender e se desenvolver. Assim como a comunicação, a tecnologia pode ajudá-lo a obter mais informações, mas não pode forçá-lo a aprender. O profissional deve ter o desejo de ver e ouvir.

Para as empresas, oferecer condições para as pessoas se desenvolverem, portanto, é essencial para obter mais eficiência. Com isso, treinamentos com foco na cadeia de suprimentos e desenvolvimento logístico, interpessoal e de habilidades de gestão; além de saúde e segurança devem ser o foco para os profissionais do setor. 

5. Drones

Os drones começaram nos setores militar e de defesa, com funções de vigilância, mas rapidamente se estenderam para usos comuns, como entretenimento, fotografia e vídeos. Em 2022, eles também estarão mais presentes no setor de logística. Isso porque são capazes de fazer inventário em um armazém logístico, transportar mercadorias por via aérea ou realizar tarefas de segurança. Tudo isso de forma rápida e eficiente. 

 

Entre os benefícios estão:

  • Economia nos custos de distribuição;
  • Entregas mais rápidas;
  • Possibilidade de atingir áreas de difícil acesso;
  • Redução do tráfego urbano e de emissões de CO2;
  • Maior controle de estoques e movimentos dentro do próprio armazém;
  • Operam 24 horas por dia, 365 dias por ano.

Redução de custos

Empresas capazes de utilizar drones reduzirão as despesas de transporte, especialmente nos últimos trechos de entrega, além de economizar com custos de manutenção, combustível, seguro e muito mais. Ao fazer isso, podem ter o potencial de reduzir seus custos de envio e, assim, obter maior diferencial competitivo. 

 

Entregas mais velozes

Quando se trata de logística e drones, a Amazon, por exemplo, deu um grande passo ao apresentar seu demo reel, oferecendo entrega no mesmo dia. Para isso, contam com a ajuda de drones. Com um clique do mouse, o sistema faz com que ele pegue o pedido, carregue-o e vá diretamente para o consumidor, sem as limitações das rotas de entrega e muitos outros desafios diários em logística. Essa estrutura também está sendo adotada por empresas em mais pontos do supply chain e deve ser um aspecto bem forte em 2022. 

 

Mais áreas de alcance

Caminhões e navios são confiáveis e podem carregar grandes volumes, mas os drones permitem alcançar áreas que não podem ser obtidas por outros meios de transporte. Dessa forma, é possível estender o raio de ação das empresas que realizam os embarques e chegar mais fácil em lugares considerados de difícil acesso.

 

Devoluções e retornos mais fáceis

Os drones não apenas trazem possibilidade real de reduzir os ciclos de tempo de devolução, mas também reduzem a inconveniência de ter que ir aos Correios e entregar a encomenda. Uma solução que deve vir mais forte em 2002 é usar drones pesados para recolher mercadorias danificadas e devolvê-las ao remetente.

 

Ou seja, as tendências para 2022 apontam novas possibilidades ao setor. Bons negócios!


Leia mais assuntos: